terça-feira, janeiro 13, 2009

Febre amarela e água do parto

Hoje, pela manhã, acordei muito cedo (6h00) para encontrar Camilinha e tomarmos a vacina contra a Febre Amarela. Já que encaramos lavouras e temos a possibilidade de viajar para o interior do RS, melhor prevenir do que remediar.

A neurótica aqui, leu tudo o que podia sobre os sintomas e a transmissão da peste, que assim como a dengue, causa hemorragia, dependendo da gravidade do caso. Só de imaginar uma coisa dessas (gato trombosado tem medo de hemorragia) já me fez pular da cama cedinho pra garantir a senha da picada, de número 597.

Chegamos ao Posto de Saúde e a fila já era grande, às 7h15. Só não demorou tanto quanto parecia. Camilinha, ao meu lado, tinha calafrios de medo de um certo choque anafilático (de onde ela tirou isso, eu não sei), e de morrer esturricada no ato da imunização. Pânico? Imagina!

Porém, ao contrário de todos os pré-sintomas, pressintomas, pré sintomas (lamento a quantidade de variações sobre o mesmo tema, não sei mais como se escreve isso com mudança 'hortográphyca'), Camilinha foi valente e corajosa ao enfrentar a picadinha salvadora. Acredito que o que causou mais espanto em minha amiga foi o fato de 'nem doer', e 'não ter uma violenta morte prematura' com o líquido injetado no braço. Nem sangue sai do 'fuiaco'.

Outra, imperdível, foi Vivica, incomodada com uma acentuada queda de cabelos.
Depois de uma visita ao médico, durante um dos nossos festivos almoços na Associação, ela solta: 'guria tô apavorada! O médico pediu que eu fizesse um exame de sangue, com quatro horas de jejum pra ver se eu tenho tireóide".

Gente, quase não deu tempo de engolir a garfada de alface ou eu teria morte-súbita-instantânea-acme! Mas nem pensem que termina por aqui. Alguns dias depois, estávamos discutindo pautinhas, Vivica, Mallory e eu, quando...
- Amanhã eu não posso porque tenho horário no 'entomologista' pra saber da minha tireóide (ou tireoide), solta Vivica, sem pensar (ó, obvio).
- Mas tu é gente, como é que vai no entomologista?
-O que foi que eu falei?
- Entomologista. O cara que estuda os insetos.
- Éééééé?
Podem rir. Tenho testemunhas.

Voltando à Camilinha, conversávamos animadamente sobre essas chateações mensais femininas de TPM e ovulação.
-Sabe quando a gente ovula, uma vez num ovário e outra noutro?
-Não, eu só tenho um ovário.
-Ah, então só menstrua mês sim, mês não?
-Não mesmo... menstruo todos os meses, igual a toda a mulherada.
-Ah, eu achava que pulava um mês... mas eu também passei a vida toda achando que sofria de apendicite mensal, porque me dava uma fisgada aqui, do lado direito. Até que um psicólogo me disse que não era apêndice, era por causa da ovulação.
- Apendicite mensal... e não morria nunca? Hehehe...
- Pois é.

E olha que foi Laurinha (que não apareceu nessa blogada) quem bebeu água do parto... mas isso é uma outra história.
Fico feliz por ter tireóide (tireoide?), imunização contra a Febre Amarela, um ovário competente e jamais precisar de um entomologista pra queda de cabelos.
Na boa? Talvez um psicólogo. De hora em hora, só pra garantir.

4 comentários:

Trevas disse...

hahahahahahahahahahahaa
pior que entomologista só o pedólogo de uma certa cara de cavalo, lembra????

Bruxa Malvada disse...

Hahahahahahahahahaha! Quase relinchei aqui, lembrando do fato equino (sem trema)!
Mas aqui na Comunicação sai cada pérola... que vale a pena blogar!

Larissa Bohnenberger disse...

Ahahahahahahahahahahahahahhahaahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahah!
Maravilha! MARAVILHA!!!!!!!!!!!
Bem, eu tenho tireóide, sistema nervoso, complexo de golgi e, embora nunca a tenha visto nem sentido, eu acredito que tenha mitocôndria por aqui também!
Ufa!!!!
Bjs!

P.S. Fiquei curiosa quanto a esta história de 'pedólogo com cara de cavalo'...

Bruxa Malvada disse...

Isso foi quando Trevas e eu nos conhecemos, lá por dezembro de 2005, pouco antes da tragédia trombótica... Trata-se de uma entidade biológica que nasceu apenas com duas patas, quando, na verdade, deveria ter quatro. Pra cavalo só faltavam as penas...