segunda-feira, fevereiro 25, 2008

A melhor coisa do Oscar!



A premiação para Javier Barden como melhor ator coadjuvante, o melhor do Oscar para mim, of course. Até porque eu acho ele a única coisa boa do filme Onde os Fracos não tem vez. Além da fotografia, que realmente é muito bem feita. Porém, o resto deixa a desejar. Fargo e Roda da Fortuna são infinitamente melhores.

Tudo mundo diz que não leva o Oscar a sério e tal, mas todo mundo vê. Inclusive eu que aguentei a chatice desse ano até quase uma da madruga. Deveria ter ido dormir, teria ganho mais. Pelo menos as olheiras desapareceriam.

Mas, enfim, em sua 80ª edição o Oscar prova que está na hora de mudar completamente os seus jurados e forma de apresentação. Porque as escolhas foram óbvias e ruins, na minha opinão (reforço mais uma vez) e o show um fracasso. O que eram as piadas daquele cara. Tirando os comentários políticos, o resto era constrangedor. O cara deve ser achar o máximo, pois ele ria dele mesmo. Loser!!!!

Torci pro Jonnhy Depp e achei uma injustiça a Helena Bonham Carter não ter sido indicada como melhor atriz coadjuvante. Ela está excelente em Sweeney Todd. E também achei injusto Persépolis não ter vencido. A história é linda, sensível, fala das mudanças impostas pelo regime talibã através dos olhos de uma criança que não entende porque a vida dela precisa mudar radicalmente. E evolui para um adolescente perdida entre a revolta e a saudade do seu país. Recomendo muito. Chorei lendo o quadrinho. Aliás, tem um texto sobre Persépolis no Morte nas postagens antigas.

Para quem não perdeu tempo vendo o Oscar, segue a lista dos vencedores.

Melhor Filme Onde os Fracos Não Têm Vez

Melhor Diretor
Ethan Coen e Joel Coen (Onde os Fracos Não Têm Vez)

Melhor Ator
Daniel Day-Lewis (Sangue Negro)


Melhor Atriz
Marion Cottilard (Piaf - Um Hino ao Amor)

Melhor Ator Coadjuvante
Javier Bardem (Onde os Fracos Não Têm Vez)

Melhor Atriz Coadjuvante
Tilda Swinton (Conduta de Risco)

Melhor Filme Estrangeiro
The Counterfeiters (Áustria)

Melhor Figurino
Elizabeth - A Era de Ouro (Alexandra Byrne)

Melhor Animação
Ratatouille

Melhor Maquiagem
Piaf - Um Hino ao Amor (Didier Lavergne e Jan Archibald)

Melhor Fotografia
Sangue Negro (Robert Elswit)

Melhor Efeitos Especiais
A Bússola de Ouro ( Michael Fink, Bill Westenhofer, Ben Morris and Trevor Wood)

Melhor Direção de Arte
Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet (Direção de Arte:Dante Ferretti; Decoração: Francesca Lo Schiavo)

Melhor Roteiro Adaptado
Joel & Ethan Cohen (Onde os Fracos Não Têm Vez)

Melhor Roteiro Original
Diablo Cody (Juno)

Melhor Edição de Som
O Ultimato Bourne (Karen Baker Landers e Per Hallberg)

Melhor Mixagem de Som
O Ultimato Bourne (Scott Millan, David Parker e Kirk Francis)

Melhor Montagem
O Ultimato Bourne (Christopher Rouse)

Melhor Canção
Falling Slowly (Once) - Glen Hansard e Marketa Irglova

Melhor Trilha Sonora
Dario Marianelli (Desejo e Reparação)

Melhor Documentário em Longa-Metragem
Taxi to the Dark Side, de Alex Gibney e Eva Orner

Melhor Documentário em Curta-Metragem
Freeheld, de Cynthia Wade e Vanessa Roth

Melhor Curta-Metragem
Le Mozart des Pickpockets, de Philipp Villard

Melhor Animação em Curta-Metragem
Pedro & O Lobo

5 comentários:

João Eduardo Q. C. disse...

Só assisti Ratatouille, por enquanto... E fiquei contente por ele ter sido oscarizado como melhor filme de animação. Mereceu mesmo!

Bjs,

João Eduardo

Trevas disse...

Oi João. Eu não vi Ratatoille, mas sou muito fã de Persépolis e gostaria de ver uma vez a história ganhar dos efeitos visuais. Mas, não poderia esperar isso do Oscar. hahahahahaa

Ontem vi mais um concorrente do Oscar, o Juno. E não achei nada demais, engraçadinho, com alguns bons diáologos, boa música e nada mais. Será daqueles filmes logo esquecidos.

Bjs

Larissa Bohnenberger disse...

Eu, para variar, não assistí a nenhum dos principais concorrentes! Pretendo vê-los na seqüência! Mas também não entendo muito de cinema, não sei fazer análises técnicas a respeito de filmes! Só sei dizer a sensação que cada um me causa!
Agora, que a festa do Oscar tornou-se tediosa e previsível, ah, isso é verdade!!!!

Bjs!

Trevas disse...

Lari, não é necessário fazer análises técnicas (ou pseudointelectuais) sobre cinema pra poder se falar dele. Quando tu comenta sobre a sensação que o filme te causou tu sabe muito bem o que tu gostou e não gostou nele.

Tu pode chamar de história ou de roteiro, de fotografia ou do jeito que tudo foi filmado, mas tu sabe do que está falando. Indiferente de como tu dá o "nome aos bois" o mais importante é poder trocar impressões sobre o que se vê.

Carol (Tita) Aragón disse...

Eu queria que ganhasse Desejo e Reparação!!!

E também achei uma babaquice toda a apresentação do cara que se acha, como mestre de cerimônias!

Agora, que eu dava pro Javier Bardem, o que ele quisesse, ah, isso eu dava!

Alguém tem um chocolate aí?