sexta-feira, maio 25, 2007

Venha a mim o vosso reino!

Projeto do senador Crivella inclui igrejas na Lei Rouanet
O Globo - RJ, Adriana Vasconcelos

O Senado está a um passo de aprovar um projeto de lei, de autoria do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), que inclui as igrejas entre as beneficiárias do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac). Mais conhecido como Lei Rouanet, aprovado em 1991 pelo Congresso Nacional, o Pronac permite que empresas invistam em projetos culturais até 4% do equivalente ao Imposto de Renda devido.
— Nada expressa melhor a formação de nossa cultura que o caldeamento das diversas religiões, seitas, cultos e sincretismos que moldaram o processo civilizatório nacional — argumenta Crivella, sobrinho de Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus. (o grifo é meu)!
O projeto chegou a ser aprovado em caráter terminativo na Comissão de Educação, mas um recurso para que fosse apreciado pelo plenário impediu que seguisse para a Câmara. Uma emenda apresentada pelo senador Sibá Machado (PT-AC) obrigou a volta do texto para a comissão. Ainda precisará ser votado no plenário do Senado e depois ir à Câmara. Como o projeto original fazia referência apenas a “templos”, sem especificar sua natureza, ao estender a eles os benefícios da Lei Rouanet, o senador Sibá considerou necessário acrescentar um adendo. A emenda, que teve o parecer favorável do senador Paulo Paim (PT-RS), foi aprovada ontem pela Comissão de Educação e deixa mais claro que o Pronac poderá ser usado para contemplar não só museus, bibliotecas, arquivos e entidades culturais, como também “templos de qualquer natureza ou credo religioso”.
A proposta agora segue novamente para o plenário, onde alguns senadores prometem reagir contra a idéia. Para o presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), o projeto é absurdo, na medida que abre uma brecha para entidades religiosas de caráter duvidoso serem beneficiadas com recursos que deveriam ser aplicados efetivamente em projetos culturais.— Isso é um absurdo porque permite que a gente comece a dividir recursos que deveriam ser destinados para a arte e a cultura. E abre brecha para o uso indevido desses recursos.No país, existem igrejas e templos de todos os tipos, inclusive alguns sob suspeita — criticou Tasso, prometendo mobilizar o PSDB contra a proposta.

Impressionante, o projeto tem parecer favorável de um senador do PT e é condenado pelo PSDB. Ok, não é de agora que não há mais diferenças entre esquerda e direita. Mas, aprovar um projeto desse me parece mais uma forma vil de se conquistar milhares de votos de carolas de plantão nas próximas eleições. "Ei, eu votei para a sua igreja ser ainda mais bonita, mais luxuosa, para que seus padres e pastores tenham um vida digna, com alguns luxos claro como viagens aos Estados Unidos e uma lavagem básica de dinheiro lá fora. Votem em mim"!
E não podem nem argumentar que esses recursos seriam para manter o patrimônio cultural porque para isso já há um projeto chamado Monumenta, que além de recuperar fachadas e a história de igrejas - como está ocorrendo com a Das Dores em Porto Alegre, exige de quem executa o projeto um registro histórico e, em muitos casos, promovem escavações arqueológicas na região do prédio ou monumento em restauração.
Então, minha gente, vamos criar vergonha na cara.
Tem uma petição rolando na internet para se manifestar contra esse projeto. Vai lá!

http://www.petitiononline.com/cult2007/petition.html

4 comentários:

Anônimo disse...

Mas o que há de errado com deputados ligados à Igreja quererem aprovar uma lei destas? Isto é apenas uma coincidência! E as igrejas são bens culturais, sim, oras! Entrar numa igreja e contemplar aqueles santos, aqueles rebocos, enquanto se escuta um sermão sobre a importância de sexo só para a procriação, é algo que precisa, a todos custo ser preservado!
PS: comentáriodedicado à trevas, que queria uma polêmica!!!

Sombria disse...

Mas existe um lado bom se passar esta lei: quem sabe eles param de cobrar o tal do dízimo dos pobres coitados que acreditam nas baboseiras dos pastores. Afinal, pra obras na Igreja é que não vão precisar mais de grana!!

Trevas disse...

hahahaha. adorei o comentário a pedidos. Quanto ao dízimo, não te preocupa que sempre vão achar um motivo para arancar uma grana dos fiéis. Afinal de contas usura só no dos outros. hahahahaha

Tita Aragón disse...

Eu preciso criar uma seita...