quarta-feira, maio 16, 2007

Araújo reviverá?

Quem me conhece, se ler isso, vai dizer: bem capaz!!! Mas, eu juro, é verdade. Dos seis aos dez anos eu fiz ballet. Sim, isso mesmo, eu já ficava na ponta e tudo quando resolvi que aquilo não era pra mim e que eu preferia ficar andando de bicicleta e jogando vôlei. Enfim. Lembrei disso hoje ao ler que a Prefeitura fechou parceria com a Opus para reabrir o Araújo Vianna. O que tem a ver uma coisa com a outra? Pra mim, tudo.
Na época em que ele era a céu aberto, foi no palco do Araújo que eu me apresentei diversas vezes. Uma vez de anjinho, outra de Mônica e por fim de Tina. Os personagens iam crescendo comigo, consigo ver isso agora, assim olhando de longe. Era um momento único ir para o Araújo duas vezes por semana e ensaiar em uma das salas do local. Naquela época já era tudo meio decadente e caindo aos pedaços, mas aquela sala no segundo andar era um universo à parte. Com uma das paredes coberta de espelhos e nas outras, barras de apoio, era um lugar amplo e com um piano que dava o tom, ao vivo, às aulas.
O dono da escola era um ex-bailarino profissional. Já era um senhor de cabelos compridos e totalmente brancos, sempre com uma manta enrolada no pescoço e parecia ser pesado demais para dançar. Entretanto, quando tinha que ensinar um passo, mostrava uma leveza impressionante. Revendo fotos, tempos atrás, consegui identificar daquela época um traço da personalidade que segue até hoje: entre várias meninas de meias e collants brancos, lá estava eu toda de preto. Uhúúú bailarina punk!
Uns 18 anos depois, lá estava eu de novo no Araújo – agora coberto com aquela cúpula esquisita - para ver o show do Zeca Baleiro. E foi um caos, cadeiras horríveis para sentar, uma acústica pior ainda e, resumo da ópera, não deu para ouvir nada. Pouco tempo depois, fecharam o Araújo e assim ele está há dois anos. Uma lástima, pois Porto Alegre não tem um lugar decente para shows de médio e grande porte. Ou é em lugares gigantes e podres que nem o Gigantinho ou em pequenos e caros como o Sesi. Uma capital provinciana de fato! Se tivessem feito o show do Santana no Olímpico, que nem o do Eric Clapton, teria sido perfeito.
A promessa agora é reformar o Araújo e reabri-lo em 2008. Vão colocar ar-condicionado, trocar as cadeiras, o piso, aumentar o palco e reconstruir banheiros e camarins. Dizem que a verba estimada é de R$ 7 milhões. Aguardemos os próximos capítulos!

2 comentários:

Sombria disse...

Impressionanate a revelação!! Se eles reabrirem mesmo, tu considera dar uma palhinha de balé para nós??? :D

Trevas disse...

Claaaaaaaaaaaroooooooo!!!! Vou até procurar minhas sapatilhas. hahahaha