segunda-feira, setembro 25, 2006

Momentos passageiros

A perna marcava o ritmo sem parar.
A boca balbuciava palavras sem som.
O rosto estava virado para a janela, escondendo-se do olhar dos demais passageiros.
A sensação era igual a do Kevin Kline em Será que ele é, se segurando para não sair dançando ao som de Village People. A vontade de levantar no meio daquele povo e começar a pular no corredor era imensa, mas permaneci ali, com a cara grudada na janela enquanto continuava murmurando:
“Oh well I woke up tonight and said I
I'm gonna make somebody love me
I'm gonna make somebody love me
And now I know, now I know, now I know
I know that it's you
You're lucky, lucky
You're so lucky!”
(Franz Ferdinad)

Momentos felizes são tão raros como fugazes!
PS: E para quem esperava respostas via blog ou textos revoltados, I’m sorry. Agora só compro as provocações que valem a pena!

Um comentário:

Tita Aragón disse...

Tamankeited in the gengivêichon!!!
Tipo assim: isso foi antes ou depois da descarga elétrica que eu te dei?
MUITO BEM!!!
Hehehehehe!!!
A quem interessar possa: a Cascavel Elétrica está a solta, e isso também é CHOCANTE!!!