quarta-feira, junho 28, 2006

Hoje estou só


Hoje o programa é por minha conta. Por isso será econômico, talvez um pouco melancôlico, mas não menos prazeroso. Hoje, eu vou onde quiser. Qualquer decisão - acertada ou não - será única e exclusivamente minha. Não vou ligar pra ninguém e, com certeza, ninguém vai me chamar também.
O cinema será minha primeira parada nesse final de noite dedicado ao encontro - talvez nada fácil - comigo mesma. O filme já escolhi: Pergunte ao Pó. Vou vê-lo com a sensação - que chega a ser palpável como uma cortina de fumaça - de que não vou gostar nem um pouco. Mas, Fante merece esse sacrifício, nem que seja para sair em sua defesa, com o dedo em riste, depois da sessão.
Quando o filme terminar, vou apertar a manta laranja em torno do pescoço, levantar a parte da frente para cobrir o rosto do ar gelado da noite, enfiar as mãos nos bolsos do casaco e tentar espantar o frio.
O que farei depois? Não sei e nem me importa. Porque essa noite é só minha e vou para onde os passos me levarem.

Um comentário:

Tita Aragón disse...

Ui... arrepiou a minha perna!
Se eu tivesse uns pilas sobrando, iria também me sacrificar por Fante!

Mas é final de mês, meu saldo tá negativo e, mesmo perguntando ao pó, quanto tempo o salário ficará na conta, eu já adivinho a resposta!

Boa diversão!