sexta-feira, janeiro 13, 2006

Ainda sobre a sexta-feira 13


Abaixo segue contribuição sobre o surgimento do mito maligno sobre a sexta-feira 13. Que meda!!!

"Segundo alguns pesquisadores, o mito da sexta-feira 13 teria sua origem em
duas lendas nórdicas (ou escandinavas). A primeira parece explicar o estigma do número 13 e conta que houve um banquete em Valhalla, o palácio para onde íam os guerreiros mortos em batalha, para o qual foram convidadas 12 divindades. Loki, o deus do fogo, talvez o mais controverso do panteão nórdico, não foi convidado e, enciumado, apareceu sem ser chamado e armou uma cilada para Baldur, o deus do Sol ou da luz, o preferido de Odin, deus dos deuses. Deste relato surgiu a idéia de que ter 13 pessoas à mesa para um jantar era desgraça na certa.
A associação com a sexta-feira parece ter vindo da segunda lenda nórdica, que fala de Frigga ou Freya, a deusa escandinava da paixão e da fertilidade. Conforme a lenda, quando as tribos nórdicas e germânicas foram obrigadas a se converter ao cristianismo, as narrativas passaram a descrevê-la como uma bruxa, exilada no alto de uma montanha. Dizia-se, então, que, para vingar-se, ela se reunia todas as sextas-feiras com outras 11 bruxas e o demônio, num total de 13 entidades, para rogar pragas sobre os humanos. Isso era usado para incitar a raiva e a animosidade das pessoas contra Frigga, embora nem sequer existissem figuras malignas como o diabo nessas culturas.
Como a sexta-feira era um dia consagrado à deusa Frigga ou Freya (cujo nome deu origem ao nome do dia da semana nas línguas anglo-saxônicas) e, portanto, ao feminino, o advento do patriarcado judaico-cristão fez com que esse dia fosse o escolhido para ser amaldiçoado, como tudo o que dizia respeito às mulheres, como a menstruação, as formas arredondadas, a magia, o humor cíclico, o pensamento não-linear, etc.
Estas lendas, embora muito anteriores, parecem ter sido consolidadas ou associadas ao relato bíblico da última ceia, em que havia 13 à mesa, às vésperas da crucificação de Jesus, que ocorreu em uma sexta-feira. O 13º convidado teria sido o traidor causador da morte de Jesus, Judas Iscariotes, exatamente como Loki foi o causador da morte do filho de Odin, por meio de uma cilada.
Lendas à parte, o fato é que, muitas pessoas, supersticiosas, evitam viajar em sexta-feira 13; a numeração dos camarotes de teatro omite, por vezes, o 13; em alguns hotéis não há o quarto de número 13, que é substituído pelo 12-a; muitos prédios pulam do 12º para o 14º andar, temendo que o 13º traga azar; há pessoas que pensam que participar de um jantar com 13 pessoas traz má sorte, porque uma delas morrerá no período de um ano. A sexta-feira 13 é, enfim, considerada um dia de azar e toma-se muito cuidado quanto às atividades planejadas para este dia.
Essa interpretação, porém, é tão arbitrária quanto regionalizada, já que em vários outros locais do planeta o número 13 parece ser estimado como símbolo de boa sorte. O argumento dos otimistas se baseia no fato de que o 13 é um número afim ao 4 (1 + 3 = 4), sendo este um símbolo de próspera sorte. Na Índia, o 13 é um número religioso muito apreciado e os pagodes hindus apresentam normalmente 13 estátuas de Buda. Na China, é comum os dísticos místicos dos templos serem encabeçados pelo número 13. Também os mexicanos primitivos consideravam o número 13 como algo santo e adoravam, por exemplo, 13 cabras sagradas.

Agora, cada um acredite no que quiser. Porque yo creo en esto: "No creo en brujas, pero que las hay, hay!"

4 comentários:

Tita Aragón disse...

Bueno, se JC tinha 12 apóstolos... quantos eles eram no total? Minha matemática é péssima! Vai ver foi por isso que crucificaram o coitado!

Ana Paula disse...

Trevinha, engraçado, 13 é um número que eu considero simpático. engraçado mesmo é quando o texto fala de 13 somar 1+3=4, sendo 4 número de boa sorte. engraçado porque no Japão, o 4 é o número da morte, tanto que as pessoas REGULAM SEUS COTIDIANOS por causa disso, a ponto de não morarem ou construírem aps residenciais nos quartos andares de prédios (como o texto fala, só que do 13).

Bia disse...

Olá, achei interessante o post, não sei quanto ao que vc acha do nº13, mas para mim é um número muito bom... Segundo o Tarot, a lâmina de nº13 é A Morte, apesar de seu nome, não tem nada há ver com uma morte... não, pleo menos física... A lâmina A Morte, se refere, á uma renovação, algo ruim que "Morre", dando lugar a uma nova "Vida"... e é nisso que eu acredito...

Outra coisa que me chamou muita a atenção, foi quando vc se refere à Loki, que não convidado para uma cerimônia, então a desgraça caiu sobre outros... Isso lembra muito a história, infantil, de A Bela Dormecida (tá pode parecer besteira ¬¬... mas...)...
Bem... é isso, abraços.

Anônimo disse...

vi em seu texto um paralelo da santa ceia com o jantar de odin. Porém não há conexão,pois essas 2 culturas não se encontram antes de todos os livros bíblicos serem escritos. Talvez seja mais uma simples coincidência. respondendo a pergunta do comentário anterior: Jesus + 12 discípulos=13. Porém existia um grupo de aproximadamente 70 discípulos que estavam sempre próximo a Jesus, inclusive um grupo de mulheres, o círculo dos 12 eram mais chegados, e ainda tinha um grupo mais próximo de 3: Pedro, João e Tiago.