domingo, outubro 21, 2007

Morte no Funeral - Fank Oz


Que o mundo anda um pé no saco não é novidade, a gente tá careca de saber que não vai mais existir inverno se o animal-homem não se ligar sobre certas coisinhas básicas, tipo, cuidar do planeta como se 'fosse' a sua própria casa...


Ok, pausa para a risada incontrolável: quem ainda não viu não deve perder a comédia de erros e humor negro, do cara que faz a voz do Mestre Yoda, de Star Wars, Frank Oz.


Humor britânico pra mim é irresistível porque é inteligente e... sim, me faz rir de chorar e ter cãibra nas bochechas!


Para um ser distímico, gargalhadas são momentos de puro deleite, tão satisfatórias quanto um bom orgasmo ou uma barra de chocolate, se você não estiver de dieta como eu...


Morte no Funeral é hilário! Tudo começa com o velório do patriarca de uma família de doidos (alguém não tem uma assim?) em que surge um misterioso anão para chantagear os dois irmãos Daniel e Robert. Ele apresenta provas irrefutáveis de que era nada mais, nada menos do que o amante gay do falecido!


Troca de caixões, um primo farmacêutico traficante, um vidro de Valium que não é exatamente Valium, um tio paralítico e amigos neuróticos completam a trama que leva a platéia às lágrimas de tanto rir. Pior que fiquei rindo sozinha depois da sessão, só de lembrar das cenas!


Apenas uma pequena falha no roteiro, pra não dizer que vou ao cinema só pra dar risada: como o tio Alfie vai parar no telhado?


Semana difícil, dia ruim, mau-humor, chefe rabugento, limite de crédito estourado, saco cheio ou TPM?

Vai assistir Morte no Funeral, criatura!


Que foi, não gostou? Ah, toma um Valium que passa...

4 comentários:

Lilian Barbosa disse...

A-ha marcou muito a década de 80. Aliás, eu tenho uma certa preferência por músicas dessa época. Na minha opinião, foram os melhores anos em quesito musical. Pena que eu só peguei o finalzinho dos anos 80. rs.

Quanto ao post de hoje, você realmente conseguiu me convencer a assistir "Morte no Funeral". Já pelo título, a gente imagina o que vem por aí... E se tem uma coisa que eu gosto, é dar risada. E confesso que também não consigo me controlar ao escutar o velho "humor negro". É tão cruel que chega a ser engraçado...rs.

Mas depois da risada, acaba batendo um remorso... Credo! Como eu sou má! kkkkkkk

Beijos, Larissa! =)

Trevas disse...

Esse eu ainda não vi, mas a história promete. Na mesma linha tem o Túmulo com vista, com a Alfred Molina e a atriz do Barato de Grace. O melhor é a disputa entre os papa-defuntos para ver quem faz os melhores velórios. Muito divertido!

Chantinon disse...

Humm... por esse enredo acho que copiaram muita coisa de "A sete palmos", o seriado.
Mas filme de humor negro eu gosto!
Só não suporto filmes sádicos ao extremo.

Larissa Bohnenberger disse...

Bah, aquele Valium... eu queria tomar um daqueles. Comédia inglesa é outra história, né?
Amei, gargalhei, e mesmo seguindo o teu conselho, Carol, de não tomar muita água antes, quase fiz xixi nas calças. Esse é um filme para se ter em casa, com certeza. Aliás, tem um ensinamento ótimo, mais para o final do filme: como puxar conversa com um reverendo. Ahahahah!
Ai, ai, muito bom.
Aliás será que eu consigo sintetizar um daqueles "Valium" que até foram capazer de fazer o tio Alfie subir o telhado? Esse é do bom!
Recomendo a todos!
Bjs!